Pages

domingo, 21 de novembro de 2010

So many things in the goddammit way...

Oh, Aliel, dear where have you been?
So near, so far, so in-between
What have you heard? What have you seen?
Aliel! Aliel! Please, Aliel!

Oh, tell us, are you big or small?
To try this one or try them all
It's such a long, long way to fall
Aliel! Aliel! Oh, Aliel!

How can you know this way not that?
You choose the door, you choose the path
Perhaps you should be coming back
Another day, another day
And nothing is quite what is seems
You're dreaming! Are you dreaming? Oh, Aliel!

Oh, how will you find your way?
Oh, how will you find your way?

No time for tears today. No time for tears today.
No time for tears today. No time for tears today.

So many doors, how did you choose?
So much to gain, so much to lose
So many things got in your way
No time today, no time today
Be careful not to lose your head
Remember what the Dormouse said, Aliel!

Did someone pull you by the hand?
How many miles to Wonderland?
Please tell us so we'll understand
Aliel! Aliel! Oh, Aliel!

Oh, how will you find you way?
Oh, how will you find you way?


------------------------------------------------

Faltam 13 dias pra mais um espetáculo. Serão aproximadamente 5/7 horas dividas entre dois dias, Mentira.

Serão muitas centenas de horas comprimidas num espaço curto demais, vai passar rápido e vai ser como as "coisas normais da vida" que sempre costumam me lembrar. A vida é assim mesmo.

Não tem muito mais o que dizer diante desse tipo de comentário.

É a vida.

E de repente perdi a vontade de escrever.

Na verdade não totalmente mas comecei a notar quão sem sentido esses tipos de comentários floreados a respeito das coisas são inúteis. É como se ... é como se toda tentativa de dar significado fosse desnecessária e vazia, uma tentativa em vão de exagerar as reais potencialidades das coisas. Muito melhor dizer tudo diretamente.

E a pior coisa já criada é a linguagem, a dança, o desenho, o corpo num curto e infinitesimal momento glorioso de vôo durante o salto. Quanta besteira.

O chão é o segundo seguinte e a realidade é a face fosca como um escudo de metal velho.

Poesia é para perdedores e pequenos resquícios de importâncias desnecessárias.


So they say, Aliel.